29 maio 2009

DIA DO GEÓGRAFO

E o meu dia chegou… (eheheh)


“- O que é um geógrafo?
- É um cientista que sabe onde ficam os mares, os rios, as cidades, as montanhas e os desertos.
- Que interessante! - disse o principezinho. Isto, sim, é uma profissão! E pôs-se a olhar à volta: nunca tinha visto um planeta tão majestoso.”
Antoine de Saint-Exupéry, "O Principezinho"


A Geografia é uma ciência que estuda o meio físico e humano. Classifica-se em geografia física – o estudo do ambiente físico da Terra (atmosfera, biosfera, hidrosfera e litosfera) e geografia humana - o estudo das populações e das suas actividades e interacções. A análise espacial está sempre presente, sendo bem vincada, no estudo geográfico.

Informação importante:
Os chineses foram os primeiros geógrafos.
O primeiro compêndio geográfico, da China, foi elaborado no século IV a.C. e uma enciclopédia geográfica chinesa de 200 capítulos data de 993 d.C.


28 maio 2009

ALMOÇO NO C.A.O.

(Ainda) Na sexta-feira passada fui almoçar com os meus amigos do C.A.O., há alguns dias que não estava com eles (muitos trabalhos, testes e actividades…). As aulas com o Curso Profissional de Turismo terminaram, logo a actividade de voluntariado com os alunos também finalizou. Mas fora do período de aulas procuramos, sempre que possível, encontrar-nos e matarmos saudades. Conversa longa com a Mónica, pois ainda existem algumas actividades que iremos fazer em parceria e depois o delicioso almoço e o tempo de conviver… um grupo estava no pátio exterior a conversar e jogar no telemóvel (é a hora em que podem mexer no telemóvel) o Vítor e o Francisco estavam a fazer um tapete, também aprendi e ajudei. Estão sempre muito divertidos e dispostos a realizar actividades em conjunto… mostrei-lhes o meu sobrinho recém-nascido, o Gabriel, que tinha no telemóvel, ficaram encantados (pudera ele é tão bonito) … vem o Carlos que queria copiar algumas imagens do meu telemóvel para o dele… lá esteve e depois colocou a fotografia do Gabriel no fundo do telemóvel. Ternura!

Já estava com saudades destes momentos diferentes e calorosos. Como é bom ter amigos assim…


DIA DA MASSAGEM

Os alunos do Curso Profissional de Termalismo, ofereceram à Comunidade Educativa, na passada sexta-feira, o “Dia da Massagem”. Num dos anexos (os nossos galinheiros) da Escola criaram um verdadeiro “Spa”: um ambiente acolhedor e calmo. As flores, as pétalas, as velas, a música, as delicadas mãos dos nossos técnicos proporcionaram aos participantes minutos de levitação e relaxamento. Usufrui de uma sessão de massagens à cara executada pela Sónia e às mãos dada pelo António.

Fantásticos e muito profissionais!



26 maio 2009

HORA DOS POEMAS

Mais uma actividade de partilha da leitura que me deu prazer realizar.



Desta vez foram trabalhados os “Poemas da Mentira e da Verdade” de Luísa Ducla Soares. Assim, com a Margarida, o Tiago, o Micael e o Carlos, aos quais se juntaram alguns alunos do 11ºB, dinamizou-se uma pequena apresentação animada de poemas muito divertidos. O Alecrim (Margarida) foi o apresentador da peça poética; o Malaquias (Tiago), o Xavier (Carlos) e o Casimiro (Micael) declamaram os alegres poemas. A Vera, a Susana, a Sandra, o Antoni e o André foram os “colaboradores” dos nossos artistas. No final os espectadores também leram e apresentaram a sua interpretação de alguns dos textos.









Ler, partilhar, aprender, descobrir, divertir, conviver… uma hora de magia.



19 maio 2009

PAÍSES/CAPITAIS - 7º ANO

Alguns dos trabalhos realizados pelos (muitos) alunos do 7º ano:



Uns mais completos que outros, mas todos com criatividade demonstrando o esforço dos discentes em praticar a localização e conhecer melhor os países e respectivas capitais.

PARABÉNS!


17 maio 2009

RIOS PORTUGUESES


Minho – nasce em Espanha, na Serra Meira (região de Lugo), e desagua em caminha. Tem cerca de 340 km de comprimento (75 km em Portugal).

Lima – nasce em Espanha, a sul de Orense, e desagua em Viana do Castelo. Mede 108 km (65 km em Portugal)

Cávado – nasce na Serra do Larouco e desagua em Esposende. Tem cerca de 118 km.

Ave – nasce na Serra da Cabreira e desagua em Vila do Conde. Mede cerca de 85 km.

Douro – nasce em Espanha, na Serra de Urbion, a 2000 m de altitude e desagua no Porto (São João da Foz). Tem cerca de 850 km (322 km em Portugal).

Vouga – nasce na Serra da Lapa e desagua em Aveiro. Mede cerca de 136 km.

Mondego – nasce na Serra da Estrela, a 1 425 m de altitude, e desagua na Figueira da Foz. Tem cerca de 227 km.

Tejo – nasce em Espanha, na Serra de Albarracim, e desagua em Lisboa (São Julião da Barra). Tem cerca de 1 120 km (275 km em Portugal). É o maior rio da Península Ibérica.

Sado – nasce em Ourique, a 232 m de latitude, e desagua em Setúbal. Tem cerca de 175 km.

Mira – nasce na Serra de Mú e desagua em Vila Nova de Mil Fontes. Tem 130 km.

Guadiana – nasce em Espanha, nas Lagoas de Ruidera, e desagua em Vila Real de Santo António. Tem 829 km de comprimento (260 km em Portugal).




É importante saber que:

- As barragens permitem a produção de energia eléctrica, mas também permitem o armazenamento de água, o controlo das cheias, o desenvolvimento de actividades ligadas, por exemplo, ao turismo. Contudo, com a sua construção e a consequente formação de albufeiras, as áreas envolventes são inundadas e ficam submersas.


- A Convenção Luso-Espanhola sobre recursos hídrico começou a ser aplicada em 2000, um ano e meio depois da sua assinatura, e serve para definir as condições de gestão e partilha dos rios comuns (Douro, Tejo, Guadiana, Minho, Lima). Desde 2000 que o Governo espanhol assumiu o compromisso de que o seu Plano Hidrológico não violaria o acordo feito com Portugal de garantir os caudais de água definidos na convenção sobre rios ibéricos. Os transvases feitos a partir de rios como o Tejo, o Douro, entre outros, retirarão caudais aos troços portugueses e podem trazer problemas de escassez de água e pôr em causa a sobrevivência ecológica daqueles rios. A Convenção sobre Cooperação para a Protecção e Aproveitamento Sustentável da Águas das bacias Hidrográficas para os Rios Internacionais foi assinada em Novembro de 1998, tendo sido regulamentados os caudais mínimos que os rios deviam ter à entrada de Portugal, assim como a gestão dos caudais em caso de cheias, a qualidade da água e a construção de barragens.


(Mapa: "Geografia - Meio Natural"; Constância)

15 maio 2009

RIOS

Continuando na Geografia Física, os 7º anos trabalharam os rios...

Um rio é um grande curso de água doce que corre por um leito em direcção ao mar, lago ou outro rio.
Os rios apesar de apresentarem apenas 0,0001% do volume de água do planeta, têm uma enorme importância sobre todas as formas de vida. Foram, desde sempre, um importante recurso para o Homem, quer no fornecimento de água, fundamental á vida, quer na irrigação dos seus campos agrícolas ou como importantes vias de comunicação.
Estas e outras funções justificam que as maiores cidades do mundo se tenham desenvolvido nas margens dos rios. Portugal não fugiu à regra: Lisboa junto ao rio Tejo, Porto junto ao rio Douro, Coimbra junto ao rio Mondego.


Alguns dos maiores rios do mundo:

Amazonas – 7 000 km (América do Sul)
Nilo – 6 695 km (África)
Iansequião – 6 380 km (Ásia)
Mississípi-Missouri – 6 020 km (América do Norte)
Irtish - 5 410 km (Ásia)
Huang-Ho – 4 840 km (Ásia)
Congo – 4 630 km (África)
Paraná – 4 500 km (América do Sul)
Mekong – 4 180 km (Ásia)
Amur – 4 416 km (Ásia)
Lena – 4 400 km (Ásia)
Níger – 4 100 km (África)


Principais rios da Europa:

Volga (3 688 km)
Danúbio (2 850 km)
Dniepre (2 285 km)
Don (1 870 km)
Pechora (1 799 km)
Dniestre (1 410 km)
Reno (1 320 km)
Donetz (1 183 km)
Elba (1 159 km)
Vístula (1 014 km)




Imagens de alguns rios (retiradas da internet):




Para saber mais:

- Um rio pode ter origem na água da chuva que se infiltra no solo (nascente) ou na água da chuva ou neve que cai sobre o solo e escorre directamente para o rio.

- Os deltas e estuários de todo o Mundo são lugares de grande riqueza biológica, por isso estabeleceram-se neles numerosos parques nacionais.

- O rio Nilo é o segundo mais extenso da Terra. Corre para norte desde o Burundi, ao longo da fronteira entre a Tanzânia e o Ruanda, atravessa o Uganda, o Sudão e o Egipto, até ao mar mediterrâneo.

- A bacia do rio Amazonas é a mais extensa do Mundo, drena uma área de 7,5 milhões de km2. Atravessa 7 países: o Brasil, a Guiana, a Venezuela, a Colômbia, o Peru, o Equador e a Bolívia. É o rio mais caudaloso do Mundo e nele desaguam cerca de mil afluentes, muitos deles ainda inexplorados. O seu volume de água é em média de 23 000 m3 por segundo. Tem cerca de 6400 km de comprimento, desde a nascente nos Andes até à foz no norte do Brasil e desagua no oceano Atlântico.

- O rio Reno, com 1 390 km de extensão, nasce nos Alpes suíços e desagua no mar do Norte. É um dos principais rios europeus, navegável ao longo de 800 km.

- O rio Danúbio nasce na Floresta Negra alemã e desagua na costa da Roménia, no mar Negro. É um dos mais importantes da Europa pela sua extensão (2 820 km), pela sua bacia hidrográfica (817 000 km2) e pelo seu caudal médio (6 500 m3).

- A maior barragem do Mundo é a Barragem das três Gargantas, na China, no rio Iansequião.

AINDA O RELEVO

E como é importante fazer exercícios...





... e conhecer algumas curiosidades...

- Com 8 848 metros, o Evereste é chamado o “tecto do mundo”. No entanto, nesta mesma cadeia montanhosa ainda podemos encontrar com mais de 8 000 metros os seguintes picos: K2 (8 611 m), Kang Chen Jung (8 586 m), Makalu (8 470 m), Dhaulagiri (8 172 m), Nanga Purbat (8 126 m), Annapurna (8 078 m) e Gasherbrum (8 068 m).

- Mais de 92% das terras emersas encontram-se a menos de 2 000 metro de altitude: na Europa, 3/4 da superfície terrestre está a menos de 500 metros; na África, 1/3 situa-se entre os 500 e os 2 500 metros; na Ásia, 1/3 está acima dos 1 000 metros.

- A Europa e a Oceânia são os continentes que apresentam as altitudes médias mais baixas, cerca de 300 metros.

- 72% da superfície de Portugal continental apresenta altitudes inferiores a 400 metros.

- A planície alentejana é denominada peneplanície, região quase plana que resultou do desgaste de antigas elevações.


RELEVO

No 7º ano falou-se de relevo...

“Norte e Sul, Litoral e Interior, terras altas e terras baixas, tais são os fios condutores do rico tecido das nossas regiões e paisagens (…)” Orlando Ribeiro

O relevo corresponde às várias deformações e irregularidades existentes na superfície terrestre.
As principais formas de relevo são: montanhas, planaltos, planícies e vales.
Destacam-se as montanhas, ou seja, formas de relevo de grande altitude e de declive acentuado.
Por sua vez, as cadeias montanhosas, também designadas por cordilheiras são conjuntos contínuos de montanhas, que se encontram ligadas entre si e apenas os seus cumes são separados (situadas na sua grande maioria nos limites dos continentes, consequência do contacto por convergência entre as várias placas litosféricas).


Importantes cordilheiras:
Andes (América do Sul) – 7 200 km
Montanhas Rochosas (América do Norte) – 4 800 km
Himalaias (Ásia) – 3 800 km
Grande Cordilheira Divisória (Austrália) – 3 600 km
Montanhas Transantárcticas (Antárctida) – 3 500 km
Cordilheira Litoral do Brasil – 3 000 km
Cordilheira da Sumatra-Java (Indonésia) – 2 900 km
Cordilheira das Aleutas/Montes do Alasca – 2 600 km
Tien Shan/Montes Tien (China) – 2 200 km
Cordilheira da Nova Guiné – 2 000 km
(Se atendermos ao critério das maiores altitudes, então teremos de considerar os Himalaias com os seus vários picos acima dos 8 000 metros como a cordilheira mais importante do planeta.)


Maiores altitudes por continente:
Ásia: Evereste – 8 848m
América do Norte: Mckinley – 6 194m
América do Sul: Aconcágua – 6 960m
África: Quilimanjaro - 5 895m
Europa: Elbrus – 5 633 m
Antárctida: Vision – 5 140 m
Oceânia: Pico de Java - 5 029m


Os picos mais importantes da Europa e respectivas altitudes:
Pirinéus (Pico Aneto – 3 404m)
Alpes (Monte Branco – 4 807m)
Montes Peninos (Monte Nevis – 1 343m)
Montes Escandinavos (Goldhopiggen – 2 469m)
Apeninos ( Gran Sasso – 2 914m)
Alpes Dináricos (Durmitor – 2 522m)
Balcãs ( Musala - 2 925m)
Cárpatos (Gerlachovsky – 2 655m)
Cáucaso (Elbrus – 5 642m)
Montes Urais (Gora Norodnaja – 1 894m)


Os picos mais elevados de Portugal Continental e Insular:
Pico (2 351 m)
Estrela (1 993 m)
Pico Ruivo (1 862 m)
Pico do Areeiro (1 818 m)
Topos Queimados (1 725 m)
Paul da Serra (1 639 m)
Larouco (1 525 m)
Gerês (1 507 m)


Imagens de alguns sistemas montanhosos e montanhas (retiradas da internet):

14 maio 2009

MAIS "5 DIAS, 5 CONTINENTES"

A exposição “5 dias, 5 continentes” contou com uma apresentação de objectos/artesanato típicos de diversos países (facultados por colegas e pelas Embaixadas da Suécia e do Panamá). Imagens dessas peças:




VÍDEO BEgas

O filme apresentado na inauguração da Biblioteca… momentos para recordar.





O poema:

PARA TI BEGAS Para ti BEgas que surgiste do nada, dum nada em que tudo existe. Com surpresa, com mistério, nós procuramos... brincamos... Sorrimos!


Para ti BEgas que juntamos unindo cores na paleta até se tornar uma única, indefinível, resplandecente. Pintamos!


Para ti BEgas que na ilusão de racionalismo tens sensibilidade, carência, afectividade, presentes em todos os poros, em cada instante que abres as portas. Sentimos!


Para ti BEgas que ensinas, ajudas, orientas. Que abrindo te fechas, a quem o imprevisível aterroriza, escuda, vagueia, interroga. Acalmamos!


Para ti BEgas a quem as certezas absolutas não passam de meros mitos ilusórios. Que a ignorância do povo, deprime e as falas dos "sábios", revoltam. Compreendemos!


Para ti BEgas que lutas pelo sonho arduamente e na tua solidão, interioridade, buscamos, pesquisamos, procuramos novas portas, novas saídas. Incentivos!


Para ti BEgas estas palavras poucas, os nossos sorrisos. Obrigado, BEgas!


Hélder Cardoso, 11ºB

12 maio 2009

INAUGURAÇÃO DA BIBLIOTECA

No dia 8 de Maio decorreu a inauguração da BEgas. Aqui fica o artigo que fiz para o Jornal e algumas fotos deste bonito momento.


Era uma vez… uma biblioteca velhinha que ansiava por um novo projecto, que a tornasse mais jovem, mais atractiva e mais moderna… o sonho concretizou-se… a Biblioteca da Escola Secundária Dom Egas Moniz entrou na Rede de Bibliotecas Escolares… uma renovada BEgas nascia. A remodelação começou: um espaço mais amplo, mais convidativo, equipamentos novos, mais comodidade, mais serviços, mais livros.



O dia 8 de Maio chegou… na inauguração da Biblioteca Escolar, estiveram presentes o presidente do Conselho Executivo da Escola Dom Egas Moniz, o presidente da Câmara Municipal de Resende, o representante da DREN para as Bibliotecas Escolares e representantes da Equipa Educativa Douro Sul que teceram palavras de elogio, de incentivo e de orgulho relativamente à persistência e ao trabalho desenvolvido pela Equipa da Biblioteca. Participaram nesta celebração a Vereadora da Cultura, a Coordenadora da Biblioteca Municipal e representantes das Bibliotecas Escolares, dos Conselhos Executivos das Escolas de Resende e do Seminário Menor de Resende.



Um momento de leitura… os alunos do 7ºD, acompanhados por alguns professores, procuraram promover a leitura partilhada apresentando o conto “O Príncipe com Orelhas de Burro” de Luísa Ducla Soares. Procurou-se um envolvimento de e com palavras, onde os discentes se assumiram como pequenos encenadores de uma história divertida, transmitindo a beleza e o entusiasmo da leitura.



É tempo de recordar… a alma da Biblioteca foi apresentada num filme que cativou a plateia mostrando alguns dos trabalhos desenvolvidos, os colaboradores e momentos divertidos. De seguida o Hélder (11ºB) transmitiu-nos com o seu belíssimo poema emoções: “(…) Sorrimos! Pintamos! Sentimos! Acalmamos! Compreendemos! Incentivos! Para ti Begas, estas palavras poucas, os nossos sorrisos. Obrigado, Begas!”



O momento mais esperado…a entrada no espaço renovado da Biblioteca onde convidados, professores e alunos foram recebidos com doces palavras: rebuçados envolvidos por palavras, citações que comunicavam, saberes, vivências. Um murmúrio de boas sensações, os olhares cúmplices sentiram-se neste espaço que encantou.



Não recordamos saudosos o passado, voltamo-nos para o futuro… e porque LER é saber mais, incentivamos a leitura e promovemos a frequência deste espaço maravilhoso que é a nossa Biblioteca.




Professora, Carla Pimentel






11 maio 2009

ONE LOVELY BLOG AWARD

Um belíssimo prémio enviado pelo Blogue de Domenico Condito http://utopiecalabresi.blogspot.com/

09 maio 2009

"5 DIAS, 5 CONTINENTES"

No dia 9 de Maio comemora-se o Dia da União Europeia.


A Europa é o segundo continente mais pequeno do Mundo. Neste continente existe um grupo de países que formam a União Europeia. A primeira Comunidade Europeia "Comunidade Económica do Carvão e do Aço" (CECA) foi instituída em 1951 e era constituída pelos seguintes países: República Federal da Alemanha, França, Bélgica, Itália, Holanda (Países Baixos), Luxemburgo. Em 1973, foram mais três os países que se uniram aos seis primeiros e que ficaram a fazer parte da então "Comunidade Económica Europeia" (CEE): Reino Unido, Dinamarca, Irlanda. Depois, em 1981, mais um país aderiu à Comunidade Económica Europeia: Grécia. Posteriormente, em 1986, foram dois países que aderiram à então União Europeia: Portugal, Espanha. Em 1995: Áustria, Suécia, Finlândia. Em 2004: Eslovénia, Eslováquia, República Checa, Chipre, Estónia, Letónia, Malta, Polónia, Lituânia, Hungria. Por último, em 2007: Bulgária, Roménia.


Este ano, as professoras de geografia, realizaram uma exposição intitulada “5 dias, 5 continentes”.

Para além de apresentarmos as curiosidades relativas à União Europeia englobamos informação de todos os continentes: Ásia, América, África, Oceânia e restantes países da Europa.

Foram elaborados mapas de cada continente com a respectiva divisão administrativa; as bandeiras de todos os países; dossiês com o bilhete de identidade de cada país (com informação sobre a capital, a população, línguas oficiais, moeda,…); as Embaixadas de alguns países enviaram-nos panfletos, mapas, CD's, DVD's,… que enriqueceram esta exposição; na Biblioteca colocamos objectos, artesanato típico de vários países do mundo (algum material foi fornecido pelas Embaixadas, outro por colegas).




08 maio 2009

OLARIA NEGRA DE FAZAMÕES

Na quinta-feira eu, a Modesta e a Isabel acompanhamos o 7ºD e o 7ºE ao Museu de Resende para participarem num Workshop de olaria negra.

Os discentes ouviram com entusiasmo a história da olaria negra de Fazamões (Fazamões é uma aldeia da freguesia de Paus, do concelho de Resende). A explicação e demonstração de todo o processo de criação de um objecto em barro deliciou os nossos alunos.

Mas ansiavam por colocar as mãos na "massa" e criar, moldar objectos. Parecia mais fácil… a ajuda do oleiro foi fundamental… e lá saíram pequenas obras que encheram de orgulho os seus criadores… queriam ficar mais tempo, queriam mexer mais no barro, mas os 90 minutos voaram… enriquecidos com esta nova experiência regressamos à Escola.




07 maio 2009

O CLIMA VESTE A PAISAGEM

A cada tipo de clima está associado um tipo de vegetação… os alunos do 7ºano descobriram as paisagens que vestem os climas… viram imagens e pasmaram-se com algumas curiosidades.



Curiosidades:

- A floresta equatorial representa cerca de 1/3 da floresta mundial.

- A floresta equatorial também se designa por floresta sempre verde e por floresta das chuvas.

- O odor libertado pelas plantas, bem como as folhas em forma de espinhos, são maneiras de lutar contra a secura, diminuindo a transpiração.

- A forma de cone das árvores é uma adaptação à neve que, assim, não fica retida na copa das árvores.

- O maquis, na Califórnia (EUA) designa-se por chaparral e em Espanha por matorral. As espécies vão variando nos diferentes locais de clima mediterrânico.

- As sequóias são o maior ser vivo do planeta. Estas árvores gigantes chegam a atingir perto de 130 metros de altura e cerca de 3000 anos de idade.

05 maio 2009

"CIDADE DOS OUTROS"

Na Feiro do Livro Usado adquiri “Geografia” de Sophia de Mello Breyner Andersen… bonito… escrita apelativa… a “cidade dos outros”…

Uma terrível atroz imensa
Desonestidade
Cobre a cidade

Há um murmúrio de combinações
Uma telegrafia
Sem gestos sem sinais sem fios

O mal procura o mal e ambos se entendem
Compram e vendem

E com um sabor a coisa morta
A cidade dos outros
Bate à nossa porta



…e é assim…

03 maio 2009

OUTRAS GEOGRAFIAS "HORRÍVEIS"

Novas leituras da colecção "Geografia Horrível" (já apresentadas: 1, 2, 3)


GEOGRAFIA HORRÍVEL - ILHAS BUÉ SELVAGENS
Maravilha-te com uma nova ilha que brota no meio do mar!
Espanta-te com outra que acaba de afundar!
Engasga-te com o fumo de dragão que ambas não param de deitar!
Se isto ainda não chega para te entusiasmar… descobre como encontrar cocos com truques mágicos, tenta desvendar o mistério da ilha desaparecida e fica a conhecer a história verdadeira de um Robinson Crusoe a sério.
É de ficar ilhéu, com tantos ilhotes na ilha da cabeça.


GEOGRAFIA HORRÍVEL - EXPLORADORES INTRÉPIDOS
Arrepia-te com Mary Kinsley, quando descobre bocados de corpo humano na sua cabana da selva.
Maravilha-te com Fernão de Magalhães, quando é o primeiro a fazer uma viagem de circum-navegação.
Tirita com o capitão Scott, quando chega ao Pólo Sul (apenas para descobrir que já outro lá chegara).
E se tudo isto não é ainda suficientemente arrojado para ti… descobre como é que alguns exploradores encontraram o caminho sem mapas, porque é que outros viajaram disfarçados, e lê nos seus diários secretos o que realmente aconteceu durante as expedições. É prodigiosamente empolgante.


GEOGRAFIA HORRÍVEL - LAGOS MONSTRUOSOS
Vais tremer à beirinha das crateras dos vulcões!
Vais gritar quando vires peixes que derretem ao sol!
Vais morrer de susto quando deres de caras com os monstros dos lagos!
Não te chega?
Então vai à procura dos monstros do lago e dos lagos subterrâneos.
Vais ficar com a cabeça em água!

02 maio 2009

CLIMA DE PORTUGAL

Portugal tem características climáticas das regiões de clima temperado mediterrânico, que são ligeiramente alteradas pela influência de alguns factores.

Em Portugal, a influência da latitude, do oceano Atlântico, da massa continental da Península Ibérica e da altitude faz com que exista alguma diversidade climática:

No norte atlântico, predomina o clima temperado mediterrânico de influência atlântica, com maior quantidade de precipitação e menor duração da estação seca.

No norte transmontano, predomina o clima temperado mediterrânico de influência continental, com menor quantidade de precipitação e maior amplitude térmica anual.

No sul de Portugal Continental, as características do clima temperado mediterrânico são mais acentuadas (Verões quentes e secos; Invernos frescos e húmidos).

Nas áreas de montanha mais elevadas, como a serra da estrela, a altitude faz com que se registem temperaturas mais baixas e precipitações mais abundantes, por vezes, com queda de neva, no Inverno.



O arquipélago da Madeira possui um clima essencialmente temperado mediterrâneo, embora com influência oceânica (vertente sul da Ilha da Madeira e Ilha de Porto Santo). Contudo a vertente norte da Ilha, o clima é mais húmido e fresco, aproximando-se do das Ilhas Açorianas.














Nos Açores o clima é predominantemente temperado marítimo, embora nalgumas ilhas existam traços de clima mediterrânico, quando a precipitação diminui significativamente no verão.




Uma curiosidade:
O local mais pluvioso de Portugal é Penhas Douradas (distrito da Guarda), caem em média 1916 mm/ano de precipitação.


Para saber mais sobre climas consultar no GEO INTERESSES o título: Área Educativa do Instituto de Meteorologia.

(mapas: pesquisa Google)

01 maio 2009

CLIMAS E MAIS CLIMAS

Climas quentes:
Caracterizam-se pelas temperaturas elevadas e predominam nas regiões que se estendem do equador às áreas subtropicais, onde o aquecimento da superfície terrestre é maior.




Equatorial:
É o mais quente e o mais húmido. Principais características:
Temperaturas médias mensais elevadas e amplitude térmica anual quase nula;
Precipitação muito abundante em todos os meses do ano, todos os meses são húmidos;
Localização: latitudes próximas do equador.







Tropical húmido: temperatura média mensal elevada, fraca amplitude térmica anual;
Precipitação abundante durante mais de seis meses, existência de meses secos;
Existência de duas estações do ano, a húmida, mais prolongada e a seca, mais curta.
Localização: zonas envolventes do clima equatorial.

Tropical seco:
temperatura média mensal elevada, fraca amplitude térmica anual;
Precipitação abundante durante menos de seis meses (3 a 4 meses), existência de meses secos (mais de 6 meses secos);
Existência de duas estações do ano, a seca, mais prolongada e a húmida, mais curta.
Localização: zona que envolve os desertos.




Desértico:
temperaturas médias mensais elevadas, com uma amplitude térmica anual moderada a alta;
Precipitação muito reduzida e esporádica; todos os meses são secos;
Existência de uma única estação quente e seca.
Localização: desertos quentes.









Climas temperados:
Os climas temperados predominam nas regiões de latitudes médias.


Mediterrânico: Temperaturas médias mensais amenas, no Inverno, e relativamente elevadas, no verão; amplitude térmica anual moderada ou alta.
Precipitação mais abundante no Outono e Inverno e ocorrência de meses secos no verão (3 e mais).
Localização: as áreas mais extensas localizam-se na bacia do mediterrâneo, incluindo quase todo o território português; extremo sul de África, sudoeste da Austrália, Califórnia, Chile Central.



Marítimo: temperaturas médias mensais relativamente baixas no Inverno e amenas nos meses de verão; amplitude térmica anual moderada.
Precipitação abundante, durante todo o ano, mas mais elevada no Outono e no Inverno.
Quatro estações com, sensivelmente, a mesma duração, em que o Outono e o Inverno são mais frios e chuvosos.
Localização: predomina entre os 40º e 60º de latitude, nas áreas litorais expostas aos ventos marítimos de oeste, no HN, e de este no HS e, por isso, sujeitas à influência da acção moderadora do mar; litoral ocidental dos continentes, no HN e litoral sudeste na Austrália.


Continental: temperaturas médias mensais negativas no Inverno e relativamente elevadas no verão; amplitude térmica anual elevada.
Precipitação mais abundante nos meses de verão e, geralmente, em forma de neve no Inverno.
Localização: concentra-se mais no HN de vido à desigual distribuição dos continentes; predomina no interior da Europa, da América do norte e da Ásia e, também, na costa oriental norte-americana e asiática.







Climas frios:
Predominam nas áreas de latitude elevada, onde as temperaturas muito baixas se devem à acentuada inclinação com que os raios solares incidem na superfície terrestre, e nas altas montanhas, onde a grande altitude é o factor responsável pela descida das temperaturas.


Polar: temperaturas médias mensais negativas, com valores muito baixos em quase todos os meses do ano; amplitude térmica anual muito elevada.
Baixos valores de precipitação, que ocorre, principalmente, nos meses menos frios.
Localização: norte do Canadá, norte da Sibéria, Gronelândia, Antárctida.



Altitude/montanha: temperatura médias mensais negativas, na maior parte dos meses do ano; amplitude térmica anual moderada a alta;
Precipitação abundante, ao longo de todo o ano, e, frequentemente, em forma de neve.
Localização: áreas mais altas das grandes cordilheiras, como os Himalaias, Andes, Montanhas Rochosas, Alpes.





Para saber mais sobre os climas: “Geografia Horrível: Apanhados do Clima” de Anita Ganeri (já apresentado)
(Gráficos: pesquisa Google)