27 novembro 2009

INDICADORES DEMOGRÁFICOS

Nos 8ºanos tem-se vindo a falar dos vários indicadores demográficos, para compreender melhor a evolução da população:

Natalidade: número de indivíduos que nascem numa população durante um determinado período de tempo, geralmente um ano

Fecundidade: número médio de filhos por mulher em idade fértil (15 aos 49 anos).

Mortalidade: é o número de indivíduos de uma população que morre durante um dado período de tempo.

Mortalidade infantil: número de óbitos ocorridos em crianças com menos de um ano de idade, durante um dado período de tempo

Esperança média de vida: é o número médio de anos que, à nascença, uma pessoa tem probabilidade de viver.


Os alunos observaram imagens/diálogos que os levaram a chegar aos factores explicativos do comportamento da população nos países desenvolvidos e nos países em desenvolvimento. Aqui ficam dois exemplos:



Países desenvolvidos

Taxas de Natalidade e Fecundidade baixas:
• Integração da mulher na vida activa; menor disponibilidade para a maternidade
• Elevados custos com a educação das crianças
• Aceitação e uso generalizado de meios contraceptivos
• Casamento e procriação a uma idade cada vez mais avançada
• Baixo número médio de filhos por mulher


Mais dois exemplos:



Taxas de Mortalidade baixa e elevada Esperança de Vida:
• Sistema de saúde eficaz e abrangente
• Valorização da vida humana e leis de protecção laboral
• Condições de higiene e alimentação de qualidade

• Crescimento Natural reduzido, mesmo negativo em alguns países
• Índice de Fecundidade inferior a 2,1, pondo em risco a renovação de gerações




Países em desenvolvimento

Taxas de Natalidade e Fecundidade elevadas:
• Grande parte das mulheres é doméstica; maior disponibilidade para a maternidade
• Elevado número de nascimentos como forma de compensar a elevada mortalidade, tanto infantil como juvenil
• Os filhos são uma fonte de rendimento para as famílias (trabalho infantil)
• Uso reduzido de métodos contraceptivos, devido a falta de informação ou preconceito cultural


Taxas de Mortalidade elevadas e pequena Esperança de Vida:
• Carências na assistência médica à generalidade da população
• Deficientes condições de higiene
• Carências alimentares

• Crescimento Natural elevado, embora se registe um abrandamento global
• Índice de Fecundidade bastante acima do valor necessário para a renovação de gerações



Outras informações:

• Planeamento familiar, principais objectivos: promover comportamentos saudáveis face à sexualidade; informar e aconselhar sobre a saúde sexual e reprodutiva; reduzir a incidência das infecções de transmissão sexual e as suas consequências, nomeadamente a infertilidade; reduzir a mortalidade materna, perinatal e infantil; permitir que o casal decida quantos filhos quer, se os quer e quando os quer, ou seja, planear a sua família; preparar e promover uma maternidade e paternidade responsável; melhorar a saúde e o bem-estar da família.
O direito ao planeamento familiar está garantido pela Constituição da República Portuguesa, pela Lei nº 3/84 e foi reforçado pela Lei nº 120/99.
O serviço de planeamento familiar é assegurado pelos Centros de Saúde, Gabinetes de Apoio a Jovens, Delegações Regionais de Saúde.

• As mulheres no Níger lideram mundialmente a taxa de fecundidade, com uma média de oito filhos. Nos países da Ásia Central e do Sul a taxa de fecundidade atinge os 3,2. O aumento populacional em África e parte da Ásia contribui para o crescimento populacional a nível global. Na Europa, a taxa de fecundidade decaiu de tal forma, que se prevê que este continente venha a ser a região do planeta com menos população quando se atingir ao ano 2050.


• Em quase todos os lugares do Mundo, a esperança média de vida das mulheres é superior à dos homens, por razões genéticas, socioculturais e comportamentais: as mulheres consomem menos álcool e tabaco regularmente, têm menos acidentes de trabalho e de viação, têm menos ocorrências de doenças cardiovasculares...

Sem comentários: