17 Maio 2009

RIOS PORTUGUESES


Minho – nasce em Espanha, na Serra Meira (região de Lugo), e desagua em caminha. Tem cerca de 340 km de comprimento (75 km em Portugal).

Lima – nasce em Espanha, a sul de Orense, e desagua em Viana do Castelo. Mede 108 km (65 km em Portugal)

Cávado – nasce na Serra do Larouco e desagua em Esposende. Tem cerca de 118 km.

Ave – nasce na Serra da Cabreira e desagua em Vila do Conde. Mede cerca de 85 km.

Douro – nasce em Espanha, na Serra de Urbion, a 2000 m de altitude e desagua no Porto (São João da Foz). Tem cerca de 850 km (322 km em Portugal).

Vouga – nasce na Serra da Lapa e desagua em Aveiro. Mede cerca de 136 km.

Mondego – nasce na Serra da Estrela, a 1 425 m de altitude, e desagua na Figueira da Foz. Tem cerca de 227 km.

Tejo – nasce em Espanha, na Serra de Albarracim, e desagua em Lisboa (São Julião da Barra). Tem cerca de 1 120 km (275 km em Portugal). É o maior rio da Península Ibérica.

Sado – nasce em Ourique, a 232 m de latitude, e desagua em Setúbal. Tem cerca de 175 km.

Mira – nasce na Serra de Mú e desagua em Vila Nova de Mil Fontes. Tem 130 km.

Guadiana – nasce em Espanha, nas Lagoas de Ruidera, e desagua em Vila Real de Santo António. Tem 829 km de comprimento (260 km em Portugal).




É importante saber que:

- As barragens permitem a produção de energia eléctrica, mas também permitem o armazenamento de água, o controlo das cheias, o desenvolvimento de actividades ligadas, por exemplo, ao turismo. Contudo, com a sua construção e a consequente formação de albufeiras, as áreas envolventes são inundadas e ficam submersas.


- A Convenção Luso-Espanhola sobre recursos hídrico começou a ser aplicada em 2000, um ano e meio depois da sua assinatura, e serve para definir as condições de gestão e partilha dos rios comuns (Douro, Tejo, Guadiana, Minho, Lima). Desde 2000 que o Governo espanhol assumiu o compromisso de que o seu Plano Hidrológico não violaria o acordo feito com Portugal de garantir os caudais de água definidos na convenção sobre rios ibéricos. Os transvases feitos a partir de rios como o Tejo, o Douro, entre outros, retirarão caudais aos troços portugueses e podem trazer problemas de escassez de água e pôr em causa a sobrevivência ecológica daqueles rios. A Convenção sobre Cooperação para a Protecção e Aproveitamento Sustentável da Águas das bacias Hidrográficas para os Rios Internacionais foi assinada em Novembro de 1998, tendo sido regulamentados os caudais mínimos que os rios deviam ter à entrada de Portugal, assim como a gestão dos caudais em caso de cheias, a qualidade da água e a construção de barragens.


(Mapa: "Geografia - Meio Natural"; Constância)

2 comentários:

Amaral disse...

Carla
Aqui estou para retribuir a visita. O teu blog é muito "clean", informação clara e eficaz. Parabéns.Irei adicioná-lo ao meus parceiros de blog.
Boa semana
Bjo

Carla Pimentel disse...

Obrigada pela comentário.
Boa semana!